terça-feira, março 28, 2006

Cinemando

Normalmente não gosto de filmes violentos, mas há filmes e filmes... Este filme, Uma História de Violência», de David Cronenberg, que tem como principais interpretes Viggo Mortensen, Maria Bello, Ed Harris, William Hurt, Ashton Holmes, é daqueles, absolutamente imperdíveis. Se quiser saber mais sobre o filme leia, por exemplo este texto. De qualquer forma, digo-lhe que é uma história de amor, e de um amor que redime. É bonito.
Nota para o "e-pá!", para que anotes, não fala de homosexuais, transsexuais, bissexuais...

7 Comments:

Anonymous e-pá! said...

David Cronenberg não é, propriamente, um realizador de Hollywood donde será de esperar alguma exploração (comercial) de anacrónicos tabus sexuais.
De qualquer maneira o que lamento...nõa é isso - é não arranjar tempo disponível para ver o filme

11:53 da manhã  
Blogger Caiê said...

Aponto já o conselho (pst, Fátima: há tanto tempo que não vejo o Viggo Mortensen...)

4:33 da tarde  
Blogger frosado said...

tem um desempenho fenomenal!é um deslumbramento!

4:49 da tarde  
Blogger Pipinha said...

Ainda não tive oportunidade de ir ver esse filme, mas estou mortinha!!! David Cronemberg é sempre um génio! By the way, um filme a não ir ver é o "Terapia de amor"... Nem as boas interpretações o salvam de uma péssima história! Beijinhos!

8:54 da tarde  
Blogger frosado said...

concordo contigo, já vi a terapia e é uma história banal...

8:58 da tarde  
Blogger Alma said...

Neste caso e na minha opinião, o Amor não redime; tolera, mas não esquece; desencanta, mas não esquece; deixa-o vir, mas não esquece...

8:28 da tarde  
Blogger frosado said...

Ó Alma, enão o que é que ele que dizer qd diz à mulher: eu antes de te conhecer não valia nada?
E aquela partilha familiar, da mesa do jantar, qd ele chega a casa?
Será que estamos a falar do mesmo filme?

10:50 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home