segunda-feira, janeiro 26, 2009

Obama anuncia medidas para aumentar eficiência energética e reduzir dependência do petróleo

3 Comments:

Anonymous carmélio said...

Vais-me desculpar de eu por sempre a minha colherada quando se trata do meu presidente, mas o poder decisivo dessa gente tem muita influência na minha mesa e no planeta que é de nós todos.
Este homem pode ser diferente, não o nego, mas nada ainda mudou e tenho mais dúvidas do que esperança que algo de importante vai mudar. Mas "às vezes é preciso que tudo mude para que tudo fique igual."(S.Godinho)
Se fosse para mudar, não se falava em regulamentar os "hedge funds" mas sim acabar com eles; não se nomeava para o governo pessoas que não pagaram 34 mil dólares de impostos (imagina lá o cacau que essa malta faz); não se nomeava para secretária de Estado uma senhora cujo marido tem negócios internacionais na ordem de milhões de dólares; não se fechava Guatanamo sem chamar à responsabilidade os responsáveis pelas torturas e os tais voos da CIA(será por isso que Portugal já se ofereceu para recebr alguns detidos?)
Sobre a dependência petrolífera, e que ainda não sabemos o que vai acontecer, não vai chegar a ser um beliscão nas grandes companhias do petrolíferas.
Como diz Saramago, "no fundo,o que Obama nos veio dizer é que outro mundo é possível", mas isso já sabíamos todos.
A máquina do cacau é muito poderosa e cá os americanos são uns grandes actores de cinema.

1:55 da tarde  
Blogger nanda said...

Continuas a "Obamar"? `´Es uma sonhadora...

12:14 da manhã  
Anonymous Carmélio said...

WASHINGTON (Jan. 28) -- Former President Bill Clinton earned nearly $6 million in speaking fees last year, almost all of it from foreign companies, according to financial documents filed by his wife, Secretary of State Hillary Rodham Clinton.
The documents obtained Tuesday by The Associated Press show that $4.6 million of the former president's reported $5.7 million in 2008 honoraria came from foreign sources, including Kuwait's national bank, other firms and groups in Canada, Germany, India, Malaysia, Mexico and PORTUGAL and a Hong Kong-based company that spent $100,000 on federal lobbying last year.

12:06 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home