domingo, novembro 25, 2007

Vasco Pulido Valente o iconoclasta

Vale a pena ler no jornal Público de ontem, a análise de Vasco Pulido Valente, sobre o novo livro de Miguel Sousa Tavares, Rio das Flores. Em suma, VPV desanca MST e diz, em quatro largas páginas, o piorio sobre o romance: "Vale pouco ou nada como romance histórico, é pobre e vulgar como romance de família". Claro que esta polémica ainda está para dar e durar, creio mesmo que se fosse no principio do século passado dava em duelo. Agora, não sei no que vai dar, mas aguardo com curiosidade. Mas concordo em absoluto com este meu amigo. De facto se MST ainda escrevesse no Público o filme seria diferente!

4 Comments:

Blogger Rui Coutinho said...

Esta é uma guerra de comadres.
E tudo isto pela birra do Perú Bêbedo, digo VPV, de rejeição às bocas do menino Sousa Tavares.
Tenho a certeza que nenhum irá Prò Maneta com esta publicidadezita.

2:23 da manhã  
Anonymous mitó said...

Pois eu acho que a leitura do artigo vai deixar muito livrinho na estante da livraria...
O artigo, também é perfeito para aqueles senhores que tecem "excelentes" comentários sobre obras literárias em voga, piscando uma crítica aqui, outra ali...

10:46 da tarde  
Blogger Rui Coutinho said...

Mitó
Para que conste, eu li o artigo.
Quanto às vendas, aposto que o Sousa Tavares vai vender pipas de livros.
Bjs

12:04 da manhã  
Anonymous mitó said...

E alguém duvida que leste?!
Bom, quanto às vendas...pois é, é natal...Mas, só por isso!

12:45 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home