quarta-feira, fevereiro 08, 2006

Estavam à espera de quê?

A Blogosfera tem andado muito agitada pelas declarações produzidas pelo Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros sobre a crise dos cartoons. Vou reproduzi-las aqui, mas fico admirada com esta agitação. O que é que esperavam do Prof. Diogo Freitas do Amaral? Eu, apesar de tudo (não votei nele, como faço questão de dizer, com frequência) esperava é outra coisa de Sócrates!
Declaração do Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros sobre a crise dos cartoons 2006/02/07 Informação à Imprensa

"Portugal lamenta e discorda da publicação de desenhos e/ou caricaturas que ofendem as crenças ou a sensibilidade religiosa dos povos muçulmanos.
A liberdade de expressão, como aliás todas as liberdades, tem como principal limite o dever de respeitar as liberdades e direitos dos outros.
Entre essas outras liberdades e direitos a respeitar está, manifestamente, a liberdade religiosa – que compreende o direito de ter ou não ter religião e, tendo religião, o direito de ver respeitados os símbolos fundamentais da religião que se professa.
Para os católicos esses símbolos são as figuras de Cristo e da sua Mãe, a Virgem Maria.
Para os muçulmanos um dos principais símbolos é a figura do Profeta Maomé.
Todos os que professam essas religiões têm direito a que tais símbolos e figuras sejam respeitados.
A liberdade sem limites não é liberdade, mas licenciosidade.
O que se passou recentemente nesta matéria em alguns países europeus é lamentável porque incita a uma inaceitável “guerra de religiões” – ainda por cima sabendo-se que as três religiões monoteístas (cristã, muçulmana e hebraica) descendem todas do mesmo profeta, Abraão.
Diogo Freitas do Amaral Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros"

PS - O sublinhado é meu

PS1- Ou como diz este Sr. aqui: "O Diogo do costume"

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Ninguém deveria esperar outra coisa, não só deste MEN, mas do Governo na sua globalidade.
Na verdade a minha convicção -profunda convicção - é que já há muito tempo não eramos governados tão à direita (mesmo acabados de sair do ciclo Barroso/PSL)
Esperemos que a Oposição chame ao parlamento essa douta personagem, face visível desta miserável declaração.
E, mais, devido a sua
beatitude (esta, licenciosa!)fale ao País de joelhos.
E que termine a suas declarações com um Amen.
Oremos!
JD

7:04 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Só a liberdade sem limites é verdadeira. Como limitar a imaginação mantendo-a livre?
Cristiana

12:20 da manhã  

Publicar um comentário

<< Home